sábado, 23 de outubro de 2010

A discussão em torno da "Superbactéria” KPC

Muito está se falando desta "Super bactéria" KPC que está deixando alguns estados, principalmente o DF, em estado de alerta.
O microorganismo é resistente a quase todos os antibióticos. As incidências são registradas, na maioria dos casos, em hospitais.
Conforme o médico infectologista Marcelo Carneiro, mestre em Microbiologia e professor do curso de Medicina da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), a KPC desenvolveu uma maneira de ficar resistente aos antibióticos. “Isso diminui as opções de tratamento das infecções por esses agentes”, esclarece. O especialista destaca que, como qualquer outra infecção, os efeitos no organismo são decorrentes da reação inflamatória entre o agente e o hospedeiro. “A presença desse mecanismo de resistência é que dificulta o tratamento e a escolha do antibiótico.”
E com tudo isso vem a velha discussão na qual sempre levantei a bandeira: Porque hoje em dia, as pessoas, principalmente as crianças, são tão bombardeadas com antibióticos pelos médicos?
Caramba, é sempre a mesma coisa. Chega-se ao médico com uma dor de garganta e ele já vem com um super antibiótico que em 24h você já não sente mais nada. É impressionante como isso é recorrente nos consultórios médicos. E é justamente o que está acontecendo em Brasília. As pessoas tomam tanto antibiótico que as bactérias vêm ficando cada vez mais resistente aos que existem no mercado. E ai, o que fazer?
Eu sempre fui contra o uso indiscriminado de antibióticos, principalmente em crianças e assim que me acertei com a pediatra do Matheus a primeira coisa que conversamos foi a respeito do uso dos antibióticos. (Acho que é por isso que procurei uma homeopata por acreditar que ela tenha um pensamento próximo ao meu.)
Mas por favor, não me entendam mal. Se tiver que dar antibiótico ao meu filho, não serei louca de recusar. Só que gosto de "gastar" todas as possibilidades antes de partir para esse tipo de medicação.
Lembro de uma vez que ele teve 3x seguidas amigdalite. Foi um terror e nas 3x foi necessário o uso de antibióticos. Mas lembro que na terceira vez ele tomou o mesmo antibiótico que tomou na primeira vez que teve. No 5º dia voltei a pediatra sem ter regredido nem 1% o quadro infeccioso. E sabem o que ouvi? É , Andréia, a bactéria ficou resistente, infelizmente teremos que entrar com um terceiro antibiótico diferente e um pouco mais forte. Gelei!
Graças a Deus depois desta overdose de antibióticos fizemos um tratamento para imunidade no Matheus que durou 3 meses e desde abril ele não tem mais nenhum processo infeccioso.
E quando vejo colegas minhas dando indiscriminadamente (e ainda pro cima com receituário médico) antibióticos para o filho porque está com um resfriado forte fico revoltada! Ah, gente, pelo amor de Deus! O problema que hoje em dia as pessoas querem "respostas" rápidas. Não querem ver o filho ou eles próprios sentindo dor por muito tempo e resolvem logo apostar nos "milagrosos" antibióticos. Já ouvi até dizer que já chegam no médico pedindo logo antibiótico !!! As pessoas não tem noção do quanto é perigoso esse uso indiscriminado, e até aceito essa falta de informação por não serem especialistas no assunto, mas médico receitando, sem, nem ao menos, retrucar?
Acho que entraremos em outro assunto aqui sobre o atendimento médico precário, mas isso não vem ao caso agora.
Um grande beijo a todos e um ótimo fim de semana!

3 comentários:

♥ Mamãe Coragem e seu trio ♥ disse...

Amiga nem fale.
Ese asunto nos deixa sempre em estado de alerta e com a preocupação a flor da pele.
Odeio antibiótico! mas fazer o que? as vzs é um mau necessário.
bjks pra vc e que Deus nos proteja.

Chris Ferreira disse...

Oi Déia,
ótimopost!
Esse assunto está nos deixando de cabelos em pé.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Vanessa Dias disse...

òtimo post Déia.
Essa bactéria preoculpa mesmo.
Eu tb n gosto de antibióticos, sou totalmente contra auto medicação e evito ao máximo medicar o Pedro. Só dou se for receitado. Ele fica muito com nariz escorrendo e as vezes tosse, quando muda o tempo, anda descalço e tal. Mas eu n corro pra medicar n, nunca fiz isso, só procuro o Pediatra se estiver afetando o sono dele e em geral não atrapalha. Acho q tem muitas mãe q auto medicam seus filhos por quaquer tosse e nariz escorrendo, com isso a imunidade fica cada vez mais baixa e as crianças vivem resfriadas.

Mais uma vez vejo q temos outra coisa em comum, rsss.

Beijos !!

Isso tambem te interessa...

Blog Widget by LinkWithin