terça-feira, 3 de agosto de 2010

E por falar em dia dos pais...


Esta semana chegou a revista crescer deste mês destinada aos pais. E lendo algumas reportagens fiquei impressionada de como a mente masculina trabalha a função “Ser Pai” como algo tão comum e tranqüilo, sem estresses, culpas e sem muita preocupações.

Vejo isso diariamente em casa e ficava imaginando.: Não, meu marido é um ET! Como pode não se preocupar quando a criança leva um tombo ou se não está querendo comer? Para eles a hora da refeição não é estressante e sempre ouço meu marido dizer:Se ele não quer comer, deixa. Quando sentir fome ele vai pedir comida! Parece tão simples, não?

Maridão não se estressa se Matheus vai comer um sanduíche ou um nuggets com batata frita de almoço. E sempre vem com o mesmo argumento: Poxa amor, ele já come bem a semana toda, deixe ele comer uma besteira de vez em quando ou até mesmo ficar sem fazer uma refeição porque comeu muita coisa (não nutritivo) durante todo o dia!

Ao mesmo tempo que penso, é verdade... vamos relaxar um pouco, penso: Como assim, ficar sem comer? Como assim trocar um prato de comida por “besteiras”?!?!?! É complicado, pelo menos para nós mães, aceitarmos isso.

Até acho que eles têm razão. A gente tem tanto cuidado não é? Não queremos errar. Me sinto, às vezes, como que querendo ser uma mulher maravilha que não existe! Tenho que aceitar que erro, que cometo deslizes e os filhos tem que saber isso. E acho que os pais demonstram mais essa “fragilidade” que nós. E acredito que quando nos mostramos “humanos” para nossos filhos até o vínculo se estreita mais. Eles vêem: Poxa, minha mãe não é perfeita, ela erra. Se ela erra e tem a humildade de dizer que errou posso errar sem medo de dizer que errei. Terei o apoio da minha mãe.

E é justamente o que acontecem com pais e filhos. Eles se entendem, se respeitam. Lembro de quando era criança e fazia uma besteira tinha PAVOR de contar pra minha mãe e nessa hora encontrava no meu pai o ouvido amigo! Pensava: meu pai não vai me recriminar, não vai gritar e brigar comigo porque errei. Porque via na minha mãe uma mulher maravilha. Aquela que não errava, que estava sempre certa de si. Não estou dizendo que não via meu pai como um herói, mas era um herói que errava, que quando tomava conta da gente saía muita coisa errada ( e a gente adorava isso!!!), que não tinha o rigor que minha mãe tinha com determinadas coisas e sentíamos mais liberdade de falar com ele. Ele era mais “próximo” de mim no quesito “fazer alguma besteira que minha mãe nunca faria”.

E a culpa??? Nossa quanta culpa sentimos quando temos que sair mais cedo de casa e não vê-los acordar ou aquele dia em que temos que chegar tarde em casa seja por causa do trabalho ou de algo que precisamos fazer. Cheguei a deixar de fazer algumas coisas depois do horário de trabalho só para ficar com o pequeno. Meu marido vai sem culpa nenhuma para a academia depois do trabalho, vai ao futebol sem culpa de “perder” umas horas da vida da criança para benefício próprio. Enquanto nós, aqui, nos martirizando porque vamos nos atrasar 1 horinha sequer.

Daí olho para eles (os maridos), mesmo com todas essas “imperfeições” e sem culpa nenhuma de seguirem suas vidas sobrevivendo e as crianças também e mesmo assim (por incrível que pareça) eles continuam os amando muito.

A gente tem muito que aprender com esse jeito tranqüilo dos homens em relação aos filhos, mas acho que, da mesma maneira que tentamos entende-los, eles poderiam tentar nos entender.

Temos a obrigação de não errar, de tentar fazer o melhor para nossos filhos. Faz parte da mulher proteger a cria. E é isso que fazemos. Proteger. Querer sempre o melhor para eles.

Mas ser Pai é ótimo... nos mostram diariamente que estamos sempre aprendendo e com os erros é que conseguimos melhorar. A vida é mais alegre com eles. Quem não ouviu seu marido ou pai dizer, após uma reclamação da mulher ou mãe, a seguinte frase: Prometo que da próxima vez não vou esquecer e vou tentar fazer direito. (E não fazem!!!).

Precisamos dessa despreocupação e maneira mais light de levar a vida. Mas como “desligar”?

7 comentários:

Andrea Bettiati disse...

ai Déia, ja combinei com meu marido que na outra encarnacao a mulher é ele...hehheehhehhee....beijosssss

lunaolargachupeta.blogspot.com

Micheli disse...

É exatamente assim! Não entra na minha cabeça tamanho sossego! Não que isso os faça pior, mas acho que é porque nós mães catamos a cria e queremos cuidar de tudo mesmo... Para eles só resta relaxar... rs.
Adorei o post.
Beijos!
http://tagarelicesepensamentos.blogspot.com/

Carol Garcia disse...

hahahahaha
a culpa é item de fábrica materno, meu bem...
se há justiça nesse mundo, voltaremos homem na próxima oportunidade.
hahahahaha
bjo

Mãe Mochileira,filho malinha.. disse...

Oieeeeeee..estava c saudades,rsrs..
menina..eu acho o maximo esse jeito relax dos pais..a gente bem podia aprender com eles como ser menos neurotica ne???rsrs..mas pensando bem acho q tem q ter um equilibrio..rsrsrs..
bjao,otima semana!! adorei a foto no boliche! ;-)

Nutrição e Cia disse...

Ai Déia quando acontece alguma coisa com minha linda sempre repito o que seria dos nossos filhos se não fossemos nós mães. Os maridos são mesmo muito desencanados e a gente PROTEGE PROTEGE PROTECE o tempo todo. Ainda bem, pois assim eles chegam na adolescencia, na fase adulta se casam e vão ser felizes para sempre. Assim espero.........2010 bjs

Simone disse...

Ei Déia!!

Sofia pediu pra eu te contar que vamos sortear lápis pro banho lá no blog.

Vai lá concorrer!

Bjs!!!

Chris Ferreira disse...

Oi Déia,
Falo para o meu marido que filho agra só quando eu for pai.
Shrek é muito legal, mesmo. As meninas aqui em casa adoraram.

Estou com um sorteio de dois livros lá no blog: uma para adulto e outro para crianças. Se quiser, dá um pulinho por lá. Acho que vai te interessar.
beijos
Chris
OI Gi,
espero que você melhore logo e volte a postar com toda a carga.
Adorei a dica do livro. COmo sempre sensacional.

Vocês receberam os postais de Mauá? As meninas adoraram esse negócio de mandar postais e já estão com uns de Cabo Frio para envia. Falei para elas esperarem um pouquinho, né? Senã vai ser uma enxurrada de postais.


Estou com um sorteio de dois livros lá no blog: um para adulto e outro para crianças. Se você quiser, dá uma passadinha lá para participar.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com

Isso tambem te interessa...

Blog Widget by LinkWithin