quinta-feira, 10 de junho de 2010

Apenas um café...

Recebi este e-mail e gostaria de compartilhar com vocês. É uma história linda de compaixão pelo próximo sem discriminação.

Esta bela história é também uma história real.

"Sou mãe de três crianças (14, 12 e 3 anos) e recentemente terminei a minha faculdade. A última aula que assisti foi de sociologia.... O professor dava as aulas de uma maneira inspiradora, de uma maneira que eu gostaria que todos os seres humanos também pudessem ser. O último projeto do curso era simplesmente chamado "Sorrir"... A classe foi orientada a sair e sorrir para três estranhos e documentar suas reações... Sou uma pessoa bastante amigável e normalmente sorrio para todos e digo oi de qualquer forma. Então, achei que isto seria muito tranquilo para mim... Após o trabalho ser passado para nós, fui com meu marido e com o mais novo de meus filhos numa manhã fria de Março ao McDonald's. Foi apenas uma maneira de passarmos um tempo agradável com o nosso filho... Estávamos esperando na fila para sermos atendidos, quando de repente todos ao nosso redor começaram a ir para trás, e então o meu marido também fez o mesmo... Não me movi um centímetro... Um sentimento arrebatador de pânico tomou conta de mim, e me virei para ver a razão pela qual todos se afastaram... Quando me virei, senti um cheiro muito forte de uma pessoa que não toma banho há muitos dias, e lá estava na fila dois pobres sem-teto. Quando eu olhei ao pobre coitado, próximo a mim, ele estava "sorrindo"... Seus olhos azuis estavam cheios da Luz de Deus, pois ele estava buscando apenas aceitação... Ele disse, Bom dia!, enquanto contava as poucas moedas que ele tinha amealhado... O segundo homem tremia suas mãos, e ficou atrás de seu amigo... Eu percebi que o segundo homem tinha problemas mentais e o senhor de olhos azuis era sua salvação.. Eu segurei minhas lágrimas, enquanto estava lá, parada, olhando para os dois... A jovem mulher no balcão perguntou-os o que eles queriam... Ele disse, "Café já está bom, por favor...", pois era tudo o que eles podiam comprar com as poucas moedas que possuiam... (Se eles quisessem apenas se sentar no restaurante para se esquentar naquela fria manhã de março, deveriam comprar algo. Ele apenas queria se esquentar)... Então eu realmente sucumbi àquele momento, quase abraçando o pequeno senhor de olhos azuis... Foi aí que notei que todos os olhos no restaurante estavam sobre mim, julgando cada pequena ação minha... Eu sorri e pedi à moça no balcão que me desse mais duas refeições de café da manhã em uma bandeja separada... Então, olhei em volta e vi a mesa em que os dois homens se sentaram para descansar... Coloquei a bandeja na mesa e coloquei minha mão sobre a mão do senhor de olhos azuis... Ele olhou para mim, com lágrimas nos olhos e me disse, "Obrigado!!" Eu me inclinei, acariciei sua mão e disse "Não fui eu quem fiz isto por você, Deus está aqui trabalhando através de mim para dar a você esperança!!" Comecei a chorar enquanto me afastava deles para sentar com meu marido e meu filho... Quando eu me sentei, meu marido sorriu para mim e me disse, "Esta é a razão pela qual Deus me deu você, querida, para que eu pudesse ter esperança!!"... Seguramos nossas mãos por um momento, e sabíamos que pudemos dar aos outros hoje algo pois Deus nos tem dado muito..... Nós não vamos muito à Igreja, porém acreditamos em Deus... Aquele dia, me foi mostrada a Luz do Doce Amor de Deus... Retornei à aula na faculdade, na última noite de aula, com esta história em minhas mãos. Eu entreguei "meu projeto" ao professor e ele o leu... E então, ele me perguntou: "Posso dividir isto com a classe?" Eu consenti enquanto ele chamava a atenção da classe para o assunto... Ele começou a ler o projeto para a classe e aí percebi que como seres humanos e como partes de Deus nós dividimos esta necessidade de curarmos pessoas e de sermos curados... Do meu jeito, eu consegui tocar algumas pessoas no McDonald's, meu filho e o professor, e cada alma que dividia a classe comigo na última noite que passei como estudante universitária... Eu me graduei com uma das maiores lições que certamente aprenderei: ACEITAÇÃO INCONDICIONAL. Que muito amor e muita compaixão seja enviada a todos que lerem esta mensagem e aprenderem a: AMAR AS PESSOAS E USAR AS COISAS E NÃO AMAR AS COISAS E USAR AS PESSOAS... "

Que tal, ao sairmos hoje, de nossos trabalhos ou casas, e sorrirmos para 3 pessoas estranhas e vermos a reação delas? Você vai se surpreender...
Um sorriso pode mudar a vida de uma pessoa. E acredite, a nossa também.

Beijo no coração de todos.

5 comentários:

Giovana disse...

Oi Deia, quanto tempo mulher!!!! Nossa ando na maior correria aqui e so hj depois de alguns dias voltei a escrever.

Linda essa estoria viu, sou adepta desse habito sabe e ja faz muito tempo. Acho muito gratificante mais até para quem ajuda ou sorri do que para quem recebe, esses dias estava passado com meu marido de carro no centro da cidade numa tarde fria e vi um garotinho correndo so de bermudas, na hora choquei mas foi tao rapido que fiquei sem reação, em fraçaõ de segundos olhei no banco de tras e um uma blusa que tinha acabado de comprar dei um jeito tirei a que eu tava (moleton) vesti a que estava no banco de tras e pedi para que meu marido voltasse naquela rua que daria meu moleton pra ele, infelismente nao o encontramos mais.... mas menina fiquei com aquilo na cabeça, e agora sempre carrego uma blusa no carro....

Bjs e desculpe pelo sumiço

RENATA RZ - Dicas Green disse...

Oi Deia!

Me emocionei também..
Ontem mesmo estava falando com a minha prima, que tem uma filhinha mulatinha fofa, sobre o preconceito.
Dizem que todos somos preconceituosos, até concordo.
Mas já está na hora de nos colocarmos no lugar de quem estiver sofrendo o preconceito.
Deve ser PÉSSIMO entrar em um lugar e todos se afastarem! Ou ser negro em uma escola onde 98% são brancos. Ou ser tratado com diferença na própria família por ser diferente.

é uma pena mesmo..
mas posso falar?
quem perde mesmo, são as pessoas que tem o preconceito, porque deixam de conhecer pessoas maravilhosas.

Valeu por compartilhar!
Beijinhos green!

Ju Dalzoto disse...

Nossa, Déia!! Linda história! Obrigada por compartilhar!

Me emocionei ao ler!
Eu tenho o hábito de sorrir e sempre cumprimentar as pessoas por onde passo, mas noto que muitas estranham isso, como se fosse esquisito, sei lá...

O universo humano é mesmo muito complexo não é mesmo?!


Grande beijo!
Bela inspiração pro post ;)

Ana - Viajar é tudibom! disse...

Oi Déia! Que texto bonito, me emocionei! Tenho uma história +/- parecida, conhecí uma pessoa em abril do ano passado, ela bateu em minha porta pedindo algo para comer, ajudei, conversei muito e ela me falou que tinha 02 crianças, estávamos na semana da Páscoa, não exitei em dar todos os chocolates que o Pedro Augusto que tinha menos de 02 meses havia ganho dos familiares e de sua madrinha, ele foi embora muito feliz e eu com a alma cheia, encontrei dias depois e nos tornamos "amigas", hj depois de 01 ano e pouco infelizmente ou felizmente ela engravidou novamente e eu ganhei uma filha adotiva de coração a Ana Julia que está com 01 mês de vida.
Acho que depois de te contar isso vou fazer um post lá no Blog sobre a minha história.

Bjinhos e bom findi!

Simplesmente Pati disse...

Oi Déia!

È a segunda vez que leio este texto,e mais uma vez me emocionei. Ah, se todos tivesse compaixão pelo seu próximo o mundo seria tão melhor... Não tem coisa mais gratificante do que fazer alguém feliz.
Um beijo

Isso tambem te interessa...

Blog Widget by LinkWithin