domingo, 30 de maio de 2010

Uma mosquinha

A maior parte do tempo de nossos filhos se consiste em estar na escola. Aprendendo, brincando, explorando, conhecendo novas brincadeiras, fazendo amizades (ou inimizades) e etc.
Saem de lá a cada dia com uma idéia diferente, com uma visão diferente do mundo que nos cerca.
Vejo meu filho falando coisas que em casa não temos por hábito falar (não é palavrão!!!). Agradecendo ao “Papai do Céu” pelo papá, sabendo contar, já conhece os números e tudo isso acontece dentro de uma caixa preta chamada “escola”.
O que acontece com eles lá dentro? Como é a reação de aprender algo novo? Como escolhem suas amizades? O que unem eles a determinadas crianças e a outras não?
Meu filho faz capoeira e natação na creche e fico imaginando a alegria dele nesses momentos. Os olhinhos dele chegam a brilhar quando pego a roupa (seja ela de natação ou capoeira) e coloco na mochila. Ele logo vem correndo e pergunta: é capoeira (ou natação) mamãe... e pula de alegria.
Como serão as aulas? O que eles devem fazer? Como o professor entretém as crianças? Como é a aula para aquelas crianças tão pequenas?
Isso sem falar que dentro da escola nós temos uma outra criança que normalmente come bem, é boazinha, faz todos os deveres, é obediente ... Mas ao sair na porta da creche/escola eles viram abóbora!! Não que Matheus seja desobediente, não coma tudo, mas um exemplo clássico disso é que meu filho ODEIA qualquer coisa na cabeça (boné, chapeuzinho ...) e no dia do índio (19/04) ele saiu com um cocar na cabeça amarradão! Fiquei pasma!
Só de pensar em colocar algo na cabeça da criança ela já mete a mão e arranca o troço!!!
Mas foi ele colocar os 2 pezinhos fora da creche que a primeira coisa que fez foi arrancar aquele cocar da cabeça. (Putz!!)
E a tia dizendo: Poxa Matheus você estava até agora com o cocar na cabeça tão bonitinho!!! (hein?!?! Como assim, até agora? Será que as tias usam de magia, ou de hipnose, sei lá para que eles possam fazer tudo sem reclamar?! Vou pedir a técnica.)
Mas enfim, tudo isso foi para dizer que eu daria tudo nessa vida para poder ser uma mosquinha e entrar no mundinho dele (dentro da escola) e conhecer um pouquinho mais desse serzinho que eu amo muito e que gostaria de estar mais tempo ao lado dele. Aprendendo, brincando e descobrindo junto com ele todas essas novidades que o mundo tem para nos oferecer.

Beijos e começo de semana a vocês.

3 comentários:

Pri...Mamãe da Arthemis! disse...

deve ser deliciosa essa fase... logo logo passarei por ela.
bjusss pra vcs

Chris Ferreira disse...

OI Déia,
eu também queria ser essa mosquinha. Na creche da Sofia nós podemos entrar a qualquer hora. Isso pode atrapalhar as aulas mas é bom porque podemos dar uma espiadinha de vez em quando. É muito legal ver a aula de natação, de balé, de capoeira, ver a interação deles no pátio. É o máximo. A vezes eu mando a máquina fotográfica e peço para a professora tirar algumas fotos, tipo assim, se não for atrapalhar a aula. É muito bo poder participar mesmo que de longe.
Agora, quando vão para a escola ... aí é que a vontade de ser mosquinha aumenta e muito.
Tem um livro da Ana Maria Machado, chamado Vamos brincar de escola? que fala da vontade de uma avó de ir para a escola dos netos dentro da mochila deles. Me identifiquei tanto com essa avó.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Estela disse...

Ah, Deia, se eu pudesse ser uma mosquinha e espiar o que acontece no mundo mágico da escola... Ia adorar também...
Matheus tá lindo!
Beijos!!

Isso tambem te interessa...

Blog Widget by LinkWithin